Imprimir esta página

José Relvas

José Relvas

José Maria Mascarenhas Relvas de Campos, nasceu na Golegã, a 5 de Março de 1858, sendo filho de Carlos Relvas, e de sua mulher, D. Margarida Amália de Azevedo( Podentes ). Matriculou-se na Universidade de Coimbra na Faculdade de Direito, que frequentou até ao segundo ano, abandonando-o então para seguir o Curso Superior de Letras, o qual concluiu em 1880, escrevendo nesse ano a sua tese, intitulada O Direito Feudal , que apresentou na prova final do curso. Além deste trabalho, escreveu: Conferência sobre Questões Económicas , feita no Centro Comercial do Porto em 1910, publicada e impressa na tipografia Bayard. Em diversos jornais tem publicado muitos artigos, especialmente sobre questões de arte e económicas. Dedicando-se muito às ideias democráticas, foi um dos que mais serviços prestou para a implantação da República em Portugal, fazendo intensa propaganda dos seus ideais, tanto no país, como no estrangeiro, onde acompanhou Magalhães Lima. Tendo estudado a fundo as questões económicas e financeiras, foi chamado a gerir a pasta das finanças no governo provisório, poucos dias depois dele ter proclamado a República, no dia 5 de Outubro de 1910, da varanda da Câmara de Lisboa. José Relvas fizera parte do directório do partido republicano. Como ministro, dedicou-se com todo o critério e elevada competência na gerência da sua pasta, tomando em consideração muitas reclamações, que ele procurou atender, providenciando sobre as que considerava serem justas, procurando tomar medidas e reformas que pudessem, quanto possível, satisfazer os reclamantes afirmando assim mais uma vez, e praticamente, o seu espírito democrático e consciencioso. Quando se tratou da nomeação do presidente da Republica, foi o seu nome indigitado por mais duma vez como candidato a esse elevado cargo. Nas primeiras cortes constituintes que se organizaram depois da eleição do presidente, Manuel de Arriaga, foi José Relvas eleito deputado pelo círculo de Viseu. Por decreto de 14 de Outubro de 1911 foi nomeado ministro português em Madrid, indo substituir o Dr. Augusto de Vasconcelos, que deixara de exercer aquelas funções, por ter sido nomeado ministro dos estrangeiros no ministério presidido por João Chagas, o primeiro organizado depois da demissão do governo provisório. No dia 18 desse mês seguiu para Madrid a tomar posse do seu novo cargo. José Relvas herdou de seu pai qualidades artísticas de alto valor, embora sob manifestações diversas. Após ter vendido o Palácio do Outeiro à Câmara Municipal da Golegã, a qual nele instalou os seus serviços, veio a fixar-se em Alpiarça na Casa dos Patudos que fez construir para sua residência.